terça-feira, 19 de novembro de 2013

SÁBADO É DIA DE DANÇA JOINVILLE


Neste sábado, a partir das 19h30, Joinville vive mais uma festa da Dança, com a realização da quarta e última edição de 2013 do projeto Dança Joinville. No palco do Teatro Juarez Machado, 324 dançarinos mostrarão 25 coreografias, em cinco estilos: Jazz, Dança Contemporânea, Dança de Salão (Bolero, Rumba, Salsa, Samba, Tango, etc), Danças Urbanas (Hip-hop, etc), Folclore (Brasileiro, Flamenco, Germânico, Italiano, Ventre, etc).

Os números apontam para uma evolução e crescimento exponencial do projeto. Esse crescimento trouxe algumas demandas que foram avaliadas e novas deliberações foram adotadas para o sucesso do evento. Entre elas, a formação de equipe especializada em som e luz, distintamente, facilitando a apresentação dos grupos que estarão no palco do Teatro. Outra deliberação foi o aumento na equipe de produção, proporcional ao aumento no número de grupos e dançarinos participantes. Com isso, todo o trabalho extra-palco será melhor acompanhado e registrado.

Outra deliberação importante, para melhor atender às necessidades dos participantes, é a divisão do espetáculo em dois atos. No 1º ato, apresentam-se somente grupos de dança de escolas municipais e estaduais e grupos infantis. No 2º ato, o palco será dos grupos adultos, não-escolares, e dos grupos associados à ANACÃ Joinville, proporcionando uma apresentação melhor formatada, em razão da experiência e estruturação de bailarinos e grupos que se apresentam no segundo bloco.

NÚMEROS - O Projeto Dança Joinville definitivamente deixa a sua marca no cenário cultural da cidade. Aprovado no Simdec 2012, na categoria Mecenato, em 2013 o Dança Joinville superou todas as expectativas. Além de 20 oficinas ministradas em vários bairros da cidade, com 20 apresentações demonstrativas, a marca registrada do projeto - as apresentações no Teatro Juarez Machado , organizadas pela Anacã Joinville – Associação de Grupos de Dança -, mostraram números que confirmam a evolução e o crescimento do Dança Joinville.

Este ano, nos quatro espetáculos (computando os inscritos para a quarta edição), o projeto teve, em cada um, entre 13 a 18 grupos participantes, com média entre 20 a 25 coreografias apresentadas. No total, 922 dançarinos deixaram seus passos registrados no linóleo do Teatro Juarez Machado. 

No primeiro espetáculo, realizado em abril, em comemoração ao Dia Mundial da Dança, 144 dançarinos subiram ao palco, com 25 coreografias, em nove estilos. Na segunda edição, em junho, foram 185 dançantes, com 20 coreografias, em seis estilos. Na terceira edição, realizada em setembro, foram 269 dançarinos, com 23 coreografias, em cinco estilos. E nesta quarta edição, o Dança Joinville terá 324 dançarinos, com 25 coreografias, em seis estilos.
O público também acompanhou a evolução e o crescimento do Dança Joinville. Na primeira edição, 290 pessoas assistiram às apresentações. E no terceiro, foram 490 pessoas. Considerando que o Teatro tem cerca de 500 lugares, estava praticamente lotado. E no quarto, a expectativa é de novamente lotar o teatro.

SERVIÇO
O que: 4ª edição do Dança Joinville de 2013
Quando: Sábado, dia 23 de novembro, às 19h30
Onde: Teatro Juarez Machado - Avenida José Vieira (Beira-Rio), 315 - Centro
Quanto: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada). Os ingressos para assistir o 4º (e último) Dança Joinville de 2013 podem ser obtidos com os integrantes dos grupos participantes, no Studio de Dança Dois Pra Lá Dois Pra Cá (Rua Chapecó, 100 – Saguaçu), e na bilheteria do Teatro Juarez Machado, que abre às 18h30 do dia 23 de novembro.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

CONSELHOS ESTADUAIS DE CULTURA APROVAM UMA CARTA DE PRINCÍPIOS


A etapa nacional da 3ª Conferência Nacional de Cultura será realizada em Brasília, de 26 a 29 de novembro de 2013 e reunirá representantes da sociedade civil escolhidos nas conferências municipais e estaduais, além de membros do governo.
O tema escolhido para esta edição foi "Uma Política de Estado Para a Cultura: Desafios do Sistema Nacional de Cultura" que será desdobrado em debates sobre a implementação do Sistema Nacional de Cultura em todo o país, sobre a produção simbólica e diversidade cultural, sobre a cidadania e direitos culturais, e sobre Cultura e desenvolvimento econômico, dentre outros.
Para a 3ª CNC, em Brasília, no mês de novembro de 2013, está sendo esperada a participação de mais de 3 mil delegados de todo o país, entre representantes do Governo Federal, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Além desses poderão participar convidados com direito a voz e a voto e observadores apenas.
Em preparação para a 3ª Conferência Nacional de Cultura, os presidentes, vice-presidentes e representantes dos Conselhos Estaduais de Cultura do Brasil, reunidos em Canela, Rio Grande do Sul, em Assembléia Ordinária do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Cultura - Conecta, nos dia 21, 22 e 23 de outubro, aprovam uma Carta de Princípios dos Conselhos Estaduais de Cultura, resultante de debates realizados em quatro encontros regionais do Fórum e um encontro nacional, envolvendo 18 Conselhos Estaduais de Cultura do Brasil, em encontros abertos, com a participação de representantes da comunidade cultural:
Encontro da Regional Sul – Porto Alegre (07 de junho de 2013)
Encontro da Regional Norte – Macapá (14 e 15 de junho de 2013)
Encontro da Regional Nordeste – Natal (02 e 03 de agosto de 2013)
Encontro das Regionais Centro Oeste e Sudeste – Cuiabá (19, 20 e 21 de setembro)
Encontro Nacional – Canela (21, 22 e 23 de outubro de 2013).
Com base nesta deliberação, o Fórum Nacional recomenda aos Conselhos Estaduais de Cultura do Brasil que tenham como base para a sua atuação os seguintes princípios:
1) espaço efetivo de mediação para o diálogo entre a sociedade civil e o poder público;
2) apartidarismo nas decisões e encaminhamentos do conselho;
3) autonomia política, orçamentária e de gestão do conselho estadual em relação ao órgão gestor de cultura do estado;
4) caráter consultivo, deliberativo e normativo dos conselhos de cultura;
5) transparência das atividades do conselho com ampla divulgação pública;
6) espaço de efetiva participação, no mínimo paritária, da sociedade civil, resultante de um amplo processo de mobilização social, considerando também critérios de representação regional do estado na composição do conselho;
7) eleição de forma direta para os presidentes dos conselhos de cultura e os representantes da sociedade civil;
8) valorização e fortalecimento dos fóruns estaduais de conselhos municipais de cultura, constituindo mecanismos pra inserir a representação destes fóruns na própria composição dos conselhos estaduais;
9) representação dos povos e comunidades tradicionais na composição dos conselhos estaduais, com representação dos povos indígenas e uma representação dos povos de matrizes africanas, estimulando a mesma prática para os conselhos municipais;
10) diversidade étnica e racial na composição dos conselhos estaduais, respeitando as especificidades de cada estado;
11) integração dos Conselhos Estaduais de Cultura com os Conselhos Estaduais de Educação e com os Conselhos Estaduais de Comunicação, apoiando a criação destes nos estados em que ainda não tenham sido criados;
12) qualificação de conselheiros de cultura, conforme estabelece a meta 36 do PNC.
13) atuação em rede dos Conselhos Estaduais de Cultura com os Conselhos Municipais de Cultura, Fóruns de Culturas, colegiados e câmaras setoriais.

Assinam a carta, além do presidente do Fórum – Conecta, Márcio Caires, que também é o presidente do Conselho Estadual de Cultua da Bahia, diversos dirigentes e coordenadores de cultura de todas as regiões do país.